Qual a melhor posição para o bebê dormir?

Essa questão sempre gera dúvidas, porque ao longo do tempo essas recomendações já mudaram algumas vezes.

Há uns anos atrás a posição de lado ou de bruços realmente era a indicada e validada pelos médicos e sustentada por pesquisas científicas. Porém, novos estudos revelam que nessa posição, o bebê pode vir a respirar parte do ar que deveria ser eliminado e pode ser um facilitador para a síndrome da morte súbita.

Agora a posição correta para o bebê dormir é de barriga para cima!

A orientação atual do Ministério da Saúde, da Sociedade Brasileira de Pediatria é que de barriga para cima, o bebê tem menos chances de se asfixiar – mesmo se for vomitar, sua reação natural será tossir chamando a atenção dos que estão por perto. Além disso, é preciso considerar que sua cabeça permanecerá sempre para um dos lados.

Oriente todas as pessoas que vão ajudar a cuidar do bebê (amigos, familiares e até mesmo na creche) que sempre o deitem de barriguinha para cima. Outra vantagem importante de manter a posição, é que o índice de infecção no ouvido e a freqüência de nariz entupido é consideravelmente menor.

Sono seguro

Sempre verifique se não há no berço nada que possa ser sugado pelo bebê. Botões, cordões e até fraldinhas de boca podem ser enfiados na boca da criança. Mas se ele for do tipo que já se acostumou a dormir com um brinquedo em especial, espere que adormeça e tire-o. A orientação é que em um a movimentação drástica, o objeto possa obstruir a passagem do ar e dificultar a respiração.

 Como evitar o refluxo durante o sono

Para evitar o refluxo, motivo de preocupação por parte dos pais, basta elevar o colchão do berço e deixar a cabeça mais alta que os pés.

Existem no mercado almofadas anti-refluxo que vão garantir conforto e segurança para os bebês, principalmente para aqueles que apresentam esse sintoma.

Além disso, alguns berços como os co-sleepers tem uma regulagem própria para que o bebê fique com a cabecinha mais elevada que o corpo.

Berço Crescer Sleeper– acompanha o crescimento do bebê.

Berço Side by Side da Safety1st  acoplável na cama dos pais facilitando a amamentação.

Tem ajuste na inclinação evitando o refluxo.

Sogni D´oro: Elevação 45º que propicia maior conforto e segurança ao sono do bebê. O formato criado para facilitar uma boa digestão e contribuir para a diminuição dos episódios de Refluxo.

O Sono do bebê

A qualidade do sono interfere diretamente no desenvolvimento infantil. Confira as principais questões que literalmente tiram o sono dos pais e aprenda a fazer o seu bebê a ter uma noite tranqüila e segura.

Algumas crianças são naturalmente mais agitadas que outras?

Sim, cada criança tem um temperamento próprio. No entanto, existem fatores que podem favorecer a calma ou a agitação. Por exemplo, se respeitarmos os horários de sono do bebê, sem estimular ele demais, isso contribui para ele ficar mais calmo. Uma rotina regular é fundamental para manter o bebê de bom humor!

Meu bebê só quer dormir no colo. Devo deixá-lo chorar um pouco antes de pegá-lo?

Só os pais sabem realmente quando é hora de pegar seu filho no colo ou não. Porém, existem bebês que desenvolveram o hábito de dormirem apenas no colo, o que costuma se tornar um problema assim que eles crescem e ficam mais pesados. Para mudar esse hábito precisamos entender primeiro por que o bebê chora quando é colocado no berço. A prática de simplesmente deixar o bebê chorando até que ele desista ou canse não é aconselhável do ponto de vista psicológico. Existem técnicas seguras e profissionais habilitados para auxiliar os pais nesse processo.

É possível treinar a criança para dormir bem?

A palavra treinar não é a mais adequada nesse caso. O sono tranquilo é reflexo de um dia tranquilo e de hábitos de sono saudáveis. Existem também as questões de relacionamento que interferem diretamente na qualidade e quantidade de sono do bebê. Desta maneira, para ter boas noites de sono é preciso cuidar desses aspectos.

Nos primeiros meses de vida alguns pais colocam um bercinho no quarto do casal para facilitar a amamentação. Isso pode atrapalhar futuramente?

Muitos pais optam por colocar o bebê em um berço ou no carrinho próximo a sua cama nos primeiros meses de vida do bebê. Se isso vai tranqüilizá-los e incentivar o aleitamento materno, essa prática pode ser adotada. De qualquer forma, caso os pais optem em colocar o bebê para dormir no quarto do casal é indicado que ele durma em um berço ou co-sleeper, e não na cama junto aos pais. Depois o ideal é que durma no seu próprio quarto no berço.

Como fazer o bebê a dormir sozinho no berço?

Se o bebê dorme desde o início em seu berço e em seu espaço, essa adaptação não é necessária. Mas se ele é mudado de lugar depois que já está grande o suficiente para perceber a mudança, uma adaptação pode ser necessária. Nesse caso, os pais devem ser pacientes e acolher as solicitações do bebê, acalmando-o sempre que necessário, sem ceder à vontade da criança de voltar para ao esquema anterior. Existem técnicas seguras e profissionais habilitados para auxiliar os pais nesse processo. Nos primeiros meses de vida o bebê precisa de um tempo até se adaptar a vida fora do útero.

Existem muitos relatos de pais que colocam o filho para dormir na mesma cama do casal. Essa atitude pode ser prejudicial? Porquê?

Sim, essa atitude pode ser prejudicial por vários motivos. O principal deles é que dormir na mesma cama aumenta a incidência da síndrome da morte súbita. Durante o sono, quando relaxados, acidentalmente os adultos podem rolar sobre o bebê, ou sufocá-lo com as cobertas. Além disso, dormir com os pais cria um hábito difícil de ser removido no futuro; além de privar o casal de sua intimidade.

De acordo com a faixa etária, quantas horas as crianças precisam dormir para ter uma vida saudável?

A quantidade de sono varia muito de pessoa para pessoa. Assim como existem adultos que se satisfazem com 6 horas de sono, existem aqueles que precisam de 9 horas de sono ou mais para se sentirem bem. Com as crianças é a mesma coisa. O pais não devem se prender a esse número e sim observar se seus filhos estão se desenvolvendo adequadamente. Se a criança está crescendo normalmente, se tem bom humor, consegue manter a atenção nas atividades que realiza e parece feliz, então provavelmente ela está tendo um número satisfatório de horas de sono.

Atualmente qual a posição indicada pelos pediatras e especialistas?

O bebê deve ser colocado sempre para dormir de barriga para cima.

Cuidados com o bebê no verão

Os dias ensolarados são perfeitos para passear com o bebê. Em algumas regiões do Brasil, o sol está presente o ano todo, por isso todo o cuidado é pouco para tirar do astro rei o que ele tem de melhor. Na hora dos passeios de carrinho, prefira os horários mais frescos, antes das 10h00 ou após 16h00, para proteger o bebê dos efeitos nocivos do sol. E mesmo se estiver nublado, fique de olho, o mormaço pode queimar a pele.

 

Quando for escolher o carrinho do bebê, saiba que já existem no mercado carrinhos de tecidos com proteção solar. Essa barreira física vai ajudar e muito a proteger o bebê quando estiver ao ar livre. Lembrando sempre de respeitar o tempo e horários em que o sol está menos intenso e, nos bebês acima de 6 meses, usar o filtro solar.

 

 

Praia e piscina: a partir de que idade?

A partir dos quatro meses é possível levar os bebês à piscina e em horários alternativos (antes das 10h00 ou após 16h00, para protegê-lo dos efeitos nocivos do sol). Opte por piscinas aquecidas para que o bebê se acostume com a água morna. Como eles ainda não podem usar o protetor solar, esses passeios devem durar alguns minutos somente. Encarar a água do mar só é recomendado após 12 meses, vale a mesma dica de horários alternativos e não se esqueça do protetor solar.

 

Quando o protetor solar deve ser usado?

Como a pele do bebê é mais fina do que dos adultos e o espaço entre suas células é maior, facilitando a absorção de substâncias e perda de água com mais facilidade, o protetor solar deve ser usado após os seis meses somente. Assim evita-se irritações, alergias e até intoxicações. Os produtos indicados são aqueles feitos especialmente para bebês e crianças e que não contenham corantes ou odores fortes. Opte pelos dermatologicamente testados e por aqueles com proteção UVA e UVB.

 

Além do protetor, quais outros cuidados com os bebês?

Só leve o bebê ao sol antes das 10h00 ou depois das 16h00. Além do protetor solar, é importante pensar nas barreiras físicas para proteger os pequenos, como guarda-sol, chapéu/boné e camisetas. Já existem peças de moda praia com fator de proteção solar, uma ajuda extra para que o bebê esteja protegido e os pais mais tranquilos. Também é importante oferecer líquidos com frequência para evitar que a criança sofra desidratação.

 

 

Por que os bebês devem tomar sol?

O sol em horário específico é importante para que uma substância conhecida como colecalciferol, que está adormecida na pele, ganhe forma ativa e se transforme em vitamina D no organismo. Alguns minutos por dia são fundamentais, afinal a vitamina D é importante para formação e desenvolvimento de ossos e dentes.

 

Devo me preocupar com o contato com a areia?

Infelizmente, sim. Embora cães e gatos sejam proibidos em praias, não há fiscalização suficiente e os dejetos desses animais podem trazer doenças de pele. Além disso, crianças pequenas têm o costume de levar tudo à boca.

 

Como evitar frieiras, micoses e outras doenças de pele?

Ao circular por vestiários, áreas de lazer na piscina ou mesmo na praia, a criança deve estar sempre calçada. Isso vale até na hora do banho. Também não compartilhe toalhas ou calçados para evitar contaminações. Na hora de enxugar os pequenos, preste atenção nas dobrinhas, região entre os dedos das mãos e dos pés devem ficar bem secos.

 

 

Como prevenir as assaduras que aumentam no verão?

As assaduras provocadas pelas fraldas pioram no verão. Isso acontece porque as crianças transpiram, o local da fralda já é mais úmido, e como os pequenos se movimentam, gerando fricção, as irritações na pele são quase inevitáveis. Além de trocar a fralda com frequência, várias vezes ao dia, os pediatras aconselham deixar as crianças sem elas durante os dias mais quentes para arejar o corpo. Também é importante evitar o uso de lenços umedecidos.

Hábitos alimentares na gestação: o que a grávida pode ou não comer

Com o resultado positivo em mãos é hora de iniciar o pré-natal e tomar algumas providências, principalmente relacionadas a alimentação. São pequenos ajustes nos hábitos e alguns cuidados extras que serão importantes para manter a sua saúde e a do bebê protegidas. Aqui separamos as principais dúvidas que as futuras mães costumam ter. Confira:

Adoçante : o adoçante é indicado a princípio para gestantes com diabetes, obesidade ou ganho de peso gestacional excessivo. Os adoçantes mais recomendáveis para gestantes são o xilitol ou eritritol, pois são naturais, mas é permitido utilizar, por exemplo  sucralose, estévia ou aspartame. Vale ressaltar que o xilitol ou eritritol podem causar gases ou desconforto abdominal. É preciso atenção quanto a estes sintomas. Adoçantes com sacarina e ciclamato não são recomendáveis, pois atravessam a placenta e não se sabe quais os efeitos para a saúde do bebê. Ideal mesmo seria evitar bebidas com sabor doce tanto quanto possível ou reduzir a quantidade de açúcar. Demerara ou mascavo não apresentam nenhuma vantagem.

Peixe cru, carpaccio e carnes mal passadas: alimentos crus são totalmente desaconselháveis por serem veículos potenciais de contaminações. Este critério também vale para vegetais crus. Saladas de folhas só devem ser consumidas em casa, onde espera-se que haja um cuidado extremo com a higienização. Lavar folha a folha e deixar os vegetais numa solução de hipoclorito são medidas indispensáveis à segurança da gestante. A toxoplasmose pode ser transmitida através de vegetais mal lavados.

Carne de porco: não existe nenhuma restrição à carne de porco. Esta deve ser sempre bem cozida, de boa procedência e de preferência deve ser um corte magro como o lombo. Evitar embutidos como lingüiça é importante, pois estes alimentos contêm grande quantidade de gordura saturada e sódio.

Frutos do mar: também não existe restrição a princípio. Os critérios são os mesmos: evitar alimentos crus ou mal cozidos e fugir de riscos de contaminação desnecessários (ex: aquele espetinho de camarão na praia). Como estes alimentos costumam causar alergias para algumas pessoas, se você já teve alguma experiência neste sentido não se arrisque.

Café e chás: estes alimentos são irritantes da mucosa do estômago, portanto é melhor observar o efeito deles em seu dia-a-dia, especialmente no final da gestação. Mas não há problema em consumir moderadamente estas bebidas.

Refrigerantes, sucos diet e light: bebidas dietéticas devem ser consumidas por pessoas com restrições de açúcares. É fundamental observar quais os adoçantes contidos no produto e evitar bebidas com sacarina e ciclamato. Os sucos naturais são as opções mais indicadas, de preferência sem açúcar. Para quem tem problemas com excesso de peso ou diabetes é fundamental escolher sucos com menor índice glicêmico: morango, maracujá, acerola, limão ou frutas vermelhas – sem açúcar –  e evitar tanto quanto possível sucos de manga, laranja, uva, melancia e abacaxi pois apresentam elevado índice glicêmico.

Bebidas alcoólicas: são totalmente proibidas na gestação. Tomar um gole de champanhe em um casamento não pode ser considerado problema, mas o consumo, mesmo esporádico, deve ser abolido neste período. Tomar cerveja preta para aumentar o leite, é um dos mitos mais tradicionais entre as gestantes.

Alimentos nota 10: laticínios (no mínimo 3 porções por dia – fonte de cálcio), Carnes magras (fontes de ferro e proteínas), ovos (fontes de vitaminas A e D, proteínas de alto valor biológico e colina) azeite de oliva (inclusive para cozinhar), frutas cítricas inteiras (a vitamina C não faz depósito no corpo e deve ser consumida diariamente). Preferir sempre alimentos in natura e evitar os muito processados é a principal estratégia para uma gestação sadia. E tomar muita água!!!

Alimentos que podem provocar azia na grávida: a azia é um dos desconfortos mais comuns na gestação. Acontece geralmente no último trimestre e é decorrente da ação da progesterona, que torna o esfíncter esofágico mais relaxado, permitindo o refluxo do conteúdo ácido do estômago. É importante evitar os irritantes da mucosa do estômago como café preto em jejum, chá mate, chá preto, alimentos muito doces ou muito salgados, frituras e condimentos fortes como a pimenta. É fundamental evitar porções grandes nas refeições, visto que a capacidade do estômago está reduzida. Comer a cada três horas e em pequenas quantidades auxilia o controle destes sintomas.

Alimentos que podem causar constipação na grávida: O trânsito intestinal costuma ficar mais lento na gestação. Para reduzir o desconforto é necessário evitar carboidratos refinados (arroz branco, bolachas, pães brancos). Aumentar a quantidade fibras (chia, linhaça, frutas, feijões, vegetais em geral), incluir iogurtes com probióticos e principalmente tomar no mínimo 2 litros de água por dia são estratégias que costumam resolver o problema.

Renata Giudice de Oliveira Lewis é nutricionista formada pela USP, com especialização em Nutrição Clínica Preventiva .

5 Dicas para aumentar a produção de leite materno

A amamentação exclusiva até os seis meses de idade é fundamental para o bom desenvolvimento do bebê e ajuda a criar um laço entre mãe e filho. Apesar da produção de leite ser determinada pela ação hormonal, algumas atitudes ajudam a estimular. Embora em alguns casos a baixa produção esteja relacionada a aspectos da saúde da mãe, na maioria das vezes, o real problema é a falta de estímulo.

Pega correta

O fundamental é que ambos estejam confortáveis e relaxados, mas é importante observar o alinhamento entre o corpo e a cabeça da criança, abdômen do bebê encostado ao abdômen materno e queixo tocando a mama. A criança deve estar apoiada pelo braço da mãe, que envolve a cabeça, o pescoço e a parte superior do seu tronco. A boca precisa estar bem aberta com o lábio inferior para fora recobrindo quase toda a aréola (como uma “boca de peixe”) enquanto a porção superior da aréola pode ser visualizada.

Não tenha pressa

Alguns bebês levam mais tempo para mamar. Para que tudo flua bem é preciso respeitar o ritmo de cada criança.

Amamente sempre que o bebê tiver fome

A criança em aleitamento materno exclusivo deve mamar em livre demanda, ou seja, na hora que quiser. Porém, após 3 horas de jejum, aumenta o risco de hipoglicemia, devendo-se oferecer a mama ao recém-nascido para minimizar o risco.

Espere a mama esvaziar para trocar de lado

Os dois seios devem ser oferecidos ao bebê, mas o ritmo natural da amamentação deve ser respeitado, como explicam as enfermeiras. É indicado que o bebê esvazie uma mama para depois oferecer a outra, pois assim ele irá ter ingerido tanto o leite anterior, rico em anticorpos, açúcar e água, quanto ao posterior, rico em gordura. Para alívio, conforto e prevenção de problemas mamários, a mãe poderá realizar uma ordenha manual e retirar o leite em excesso da mama não utilizada.
Tenha uma rotina saudável

Durante a amamentação a mamãe deve redobrar o consumo de água e apostar em alimentos saudáveis e com boas fontes minerais. Outra dica importante é se manter relaxada, pois o estresse pode inibir a produção láctea.

Fonte: GuiaDoBebê

Mochila pesada pode provocar dores nas crianças

É preciso ficar atento sobre o volume e peso dos itens no dia a dia das crianças para evitar problemas de coluna e dores musculares como escoliose, hiperlordose, hipercifose, dores musculares e nas articulações. No pescoço e nos ombros são alguns dos problemas mais comuns observados em crianças que carregam muito peso nas mochilas escolares.

Itens como cadernos, canetinhas, lápis de cor, agendas e dicionários são indispensáveis para o uso na educação tanto na escola como em casa e, de acordo com a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBTO), o peso ideal das mochilas não pode ultrapassar 10% do peso corporal da criança.

Lembre-se que o mais importante é avaliar o que, de fato, é essencial para a rotina das crianças e, a partir disso, garantir a saúde delas. Para isso:

  • Evite o sobrepeso das mochilas com itens desnecessários e ou duplique os materiais que são de uso recorrente em casa como, dicionários, canetinhas, lápis de cor e réguas. Veja com a direção da escola se existe a possibilidade de guardar alguns itens em armários para evitar a ida e vinda de materiais que você tenha em casa;
  • Oriente a criança e o jovem para usar a mochila com as duas alças adaptadas no ombro e a mochila no centro das costas, dividindo o peso por igual para manter o centro de gravidade da coluna e diminuir o risco de lesões musculares;
  • Organize os materiais mais pesados no fundo da mochila e certifique-se que os cadernos e livros estão alinhados para evitar “desequilíbrio” e promover escoliose (alteração postural);
  • Quando a criança apresentar algum incomodo e ou dor muscular, fique atento e certifique-se de levá-la ao médico pediatra ou especialista para saber a origem do desconforto.

Fonte: http://guiadobebe.uol.com.br/mochila-pesada-pode-provocar-dores-nas-criancas/

Estímulos do lar que podem ajudar o seu bebê

Todos nós nascemos com inteligência, porém podemos dizer que nossa inteligência é muito influenciada pelo meio social em que vivemos. É por isso que pequenas atitudes no dia a dia são suficientes para promover estímulos ao seu bebê.
Os lares tendem a variar conforme a cultura, porém alguns fatores devem ser universais e independentes de cultura, um exemplo é a dedicação dos pais frente aos filhos, a afetividade, a não agressão e etc.

Aspectos fundamentais no lar que irão contribuir no desenvolvimento do bebê:

  • Incentivo para explorar e conhecer o ambiente qual o bebê habita;
  • Estimulação nas habilidades cognitivas e sociais;
  • Elogios frequentes aos bebês, independente se o bebê teve sucesso ou não na atividade desempenhada;
  • Não agressão – seja ela verbal ou física, ou seja, ter muita paciência e evitar os maus-tratos pois a violência seja ela física ou psicológica irá prejudicar o desenvolvimento do bebê;
  • Orientação nas atividades do bebê para que ele expanda e evolua nas muitas habilidades que ele possui;
  • Estimulação da linguagem – ou seja, dialogar sempre com o bebê, estimular as diversas formas de linguagem seja ela falada ou até mesmo os gestos.

Diante disso percebemos que a frase popular “Educação vem de berço” tem um verdadeiro ensinamento, já que o lar do bebê além de ser um ambiente de afetividade e confiança, irá contribuir para o desenvolvimento do bebê.

Fonte: http://guiadobebe.uol.com.br/como-os-estimulos-de-seu-lar-podem-ajudar-o-seu-bebe/

Mamadeiras, Chupetas e Badulaques

A chupeta é um objeto transicional que permite ao bebê realizar esse movimento quando não está sendo amamentado e suprir sua necessidade psicoemocional, que muitas vezes não é plenamente satisfeita enquanto amamentado.
Mas, há que se tomar muito cuidado com o tempo em que o bebê passa com a chupeta, pois seu uso excessivo pode causar problemas anatômicos, ortodônticos, respiratórios e no desenvolvimento da linguagem. A criança ainda fica apática, passiva e não participa das atividades.
A maior dificuldade em abandonar o uso da chupeta e da mamadeira é que geralmente elas vêm relacionadas com algum badulaque (os famosos objetos transicionais): bichinhos, paninhos, travesseiros, etc. Eles são os “pais” quando ausentes e por isso tão importantes ao ponto de não se separarem nem para que o objeto seja lavado, pois tem seu cheiro e é único e especial.
Então sim papai e mamãe, o processo de retirada desses objetos tem de iniciar por uma ação de vocês. Quanto mais tarde isso ocorrer, maior será a dependência física e emocional da criança em relação a esses objetos. Quando o bebê adormecer, procure tirá-los.
Lembrem-se: apatia, acomodação, indiferença e conivência não são os caminhos certos para fazer nossos filhos felizes e saudáveis.
http://guiadobebe.uol.com.br/mamadeiras-chupetas-e-badulaques/

Chá de bebê

Veja algumas dicas para você seguir neste momento tão especial!
Você já está no 7º ou 8º mês de gestação?
Saiba que essa é a época ideal para realizar o chá de bebê e reunir os amigos e parentes para participar.
A intenção do chá de bebê é de ajudar a futura mamãe a se equipar para esse início cheio de despesas, e ajudá-la emocionalmente nessa nova fase, pois é importante para ela, sentir os amigos por perto, participando dessa etapa de sua vida, mesmo que não seja seu primeiro filhinho.
O chá de bebê dispensa qualquer formalidade e o convite pode ser feito por telefone mesmo. Geralmente é realizado por uma amiga mais íntima da gestante onde, provavelmente, a maioria das pessoas que serão convidadas já a conhecem.
Caso você e sua amiga queiram optar pela distribuição do convite, o ideal é entregá-los com uma semana de antecedência, no mínimo, mas o ideal é entregar pelo menos um mês antes do chá para que todos possam se programar.
O bom é que o “chá de bebê” seja combinado para um fim de semana, assim todos poderão comparecer e, sempre, na parte da tarde. No dia, poderá ser servido sanduichinhos, uma torta salgada, bolo, sorvete, água, suco ou refrigerante e não pode faltar, pela tradição, pelo menos um tipo de chá. Você pode optar para, após uma hora da chegada dos convidados, servir o lanche, ou ainda para que todos fiquem mais à vontade, pode montar uma mesa ou aparador no ambiente, com tudo disposto em cima e deixar que as pessoas se sirvam como quiserem.
Quanto aos convites, quando houver mais de uma convidada que resida na mesma casa, como mãe e filha ou duas irmãs, por exemplo, não precisa haver constrangimento em pedir uma lembrança para cada uma, separadamente, só que aí, o mais correto, é pedir uma lembrança mais em conta para a segunda.
Outra regrinha que você deve seguir, é que no caso de optar por pedir nos convites roupinhas para o bebê também, deverá estar ciente que elas têm que ser simples, como no caso das blusinhas modelo pagão ou as calças (culotes), que hoje em dia são encontradas com preços bem acessíveis. Ao pedir roupinhas, você estará sempre correndo o risco de não gostar da cor ou do tecido e, nesse caso, não é delicado pedir para a pessoa trocar, pois muitas vezes ela comprou o que podia. Por isso, o ideal, é não pedir roupinhas, a não ser, é claro, que estejam realizando o chá para uma pessoa que não tem recurso algum e que tudo será dado pelos convidados, de comum acordo.
Não esqueça que pode-se pedir também um mesmo item mais de uma vez, para pessoas diferentes. Não deixe de especificar nos convites ou pelo telefone, os tamanhos corretos das peças que devem variar do recém-nascido para o tamanho pequeno, e a cor desejada.

Como escolher o berço do bebê?

A hora de comprar um berço requer muito cuidado, afinal, é ali que o bebê vai passar aproximadamente 15 horas por dia nos primeiros meses de vida. Mas, infelizmente, nem todo berço vendido por aí é bom e seguro o suficiente.
Informações dentro das novas normas do INMETRO, ajudam as mamães que estão procurando um bercinho seguro e confortável.
Tamanhos dos berços
Os berços de madeira ou MDF variam em dois tamanhos: o berço nacional leva o padrão de 1,30m de comprimento por 60cm de largura e o berço de padrão americano tem o tamanho de 1,30m de comprimento por 70cm de largura.

Cuidados na hora de comprar o berço
Algumas medidas, em qualquer um dos padrões de berço, são extremamente importantes. A grade lateral do berço, por exemplo, deve ter no máximo um espaço de 6,5cm entre uma barra e outra para evitar que o bebê coloque a cabeça no vão. Segundo as regras do Inmetro, a distância entre o estrado e as laterais do berço não deve ultrapassar 2,5 cm, dessa forma não tem como a criança prender a mão ou o pezinho. Além disso, atualmente o Inmetro poríbe a fabricação de berços com grades móveis (essa regra ainda está em transição, por isso ainda é possível encontrar berços com grades móveis nas lojas)

Como escolher o berço
É importante que os pais sintam firmeza no berço escolhido. Além do espaçamento correto, as barras laterais tem que ser rígidas e firmes. O berço deve ter estabilidade, afinal, é o primeiro lugar onde o bebê vai começar a interagir segurando nas bordas e grades. Além disso, é sempre bom que os berços tenham quinas arredondadas para evitar que o bebê se machuque.
Outro ponto fundamental nas medidas do berço é a altura do estrado, que deve ter no mínimo 60 centímetros de profundidade quando colocada na última posição. Isso evita que o bebê consiga pular para fora do móvel quando estiver maior. Além disso, a Academia Americana de Pediatria aconselha que os pais não coloquem kits de berço, travesseiros, almofadas ou bichinhos de pelúcia que podem sufocar o recém-nascido ou auxiliar o bebê maior em uma perigosa escalada para fora do berço. Segundo especialistas, o risco do bebê bater a cabeça dentro do berço é muito menor que o de sufocar com itens decorativos.
Que tipo de colchão escolher para o berço do bebê
Outra grande preocupação é na hora de comprar o colchão. Segundo o Instituto Nacional de Estudos do Repouso, colchões para pequenos de até três anos, devem ser de espuma com densidade 18. O bom senso dos papais na hora da aquisição também vale, não é bom comprar um colchão muito duro, nem muito mole.
Segurança nos berços
Na hora de comprar o berço não esqueça de verificar se o produto possui o selo do INMETRO. Berço também tem garantia, veja no certificado de cada marca qual o tempo de garantia que é oferecido e também leve em conta essa informação na hora de decidir pela compra.

Colinho da mamãe

O colo é um jeito inteligente que a natureza inventou de dar ao bebê conforto e amor, do mesmo jeitinho que era dentro do útero. É isso mesmo, quando seguramos um recém-nascido no colo, damos contenção, segurança, calor, e o bebê tem a possibilidade de ouvir bem de pertinho aquele som tão conhecido – o coração da mamãe.
Por isso ele pára de chorar.
O que caracteriza o nascimento de uma criança é o corte do cordão simbiótico, mãe para um lado, bebê para outro. Esse é o parto fisiológico.
Mas a mulher leva um tempo para lidar com isso, para entender que seu filho nasceu, durante algum tempo ainda sente falta da barriga e de estar grávida. Com o bebê é a mesma coisa: ele ainda não sabe que nasceu e leva de 3 a 4 meses para começar a entender que toda vez que chora, a mãe vem de fora para atendê-lo. Sua fantasia inicial é de que ele mesmo “resolve” todos os seus problemas: cada vez que chora, a fome, o frio e a dor vão embora .
Portanto, podemos abusar do colo durante os primeiros meses, até mesmo porque daqui a muito pouco tempo ele vai para o chão brincar e dificilmente retorna ao colo.
Mas segurar seu filho no colo exige técnica, não é de qualquer jeito. Ele precisa estar bem aconchegado, confortável, seguro, mas sem estar apertado, próximo a mãe. É importante que exista o contato olho no olho; o recém-nascido precisa ver a sua mãe, pois é para ela que vai sorrir pela primeira vez e é dela que vai receber seu sorriso de resposta, tão importante para estabelecer sua primeira forma de comunicação que vai determinar sua relação com as pessoas pelo resto da sua vida. Criança que sorri e não recebe o sorriso resposta da mãe, desiste…
Bebê que chora no berço está solicitando ajuda, não necessariamente quer colo, às vezes só uma palavra de conforto, uma mão amiga para tocá-lo….
Dar colo ao seu filho é dar amor. É ensinar a primeira e a mais importante forma de comunicação dos seres humanos: afeto.
Abraçar é aceitar, é uma forma de dizer o quanto ele é bem-vindo, amado e desejado .
Através do colo você pode plantar a semente de um mundo mais compreensivo e humano.

Levar ou não o pequeno nas festas noturnas?

Surgiu aquela festança e você está pronta para a diversão. Já marcou horário no salão, fez questão de comprar um vestido bonito e já providenciou os acessórios perfeitos para combinar com todo o visual. Mas, você esqueceu de um detalhe bastante importante para a noite especial. Será que o filhote pode ou não ir com você? Fique atenta para não passar por problemas nos locais onde levará o pequeno à tira-colo.

Bailes de formatura não são indicados. Geralmente, a maioria dos espaços para eventos não indica a presença de crianças até uma determinada faixa etária. Pode não ser regra, mas imagine o som bem alto e diversas pessoas transitando. Você poderá não curtir a festa, pois terá que prestar atenção na segurança do filhote e ainda perceber cochichos e reclamações na hora da cerimônia, principalmente na entrega dos certificados, pois ele não para de falar ou chorar.

Evite oferecer petiscos e pratos para o pequeno. Alguns alimentos podem estar muito temperados, causando reações alérgicas ou problemas estomacais. Não se esqueça de alimentar o pequeno antes de sair de casa.

Aquela amiga do peito convidou você e o seu marido para um happy hour? Nos barzinhos, as acomodações são precárias para o seu filho. Curtir o início da noite com a criança no colo pode ser prazeroso, mas pesquise ambientes onde há monitoramento adequado para os pequeninos e espaço KIDS para as crianças. Você poderá conversar menos preocupada e o filhote estará se esbaldando nos brinquedos.

Reunião na casa dos amigos? Se eles tiverem crianças da mesma faixa etária, será pura diversão. Leve sempre um brinquedo do gosto da criança (de preferência os menos barulhentos e fáceis de serem transportados) para que não fique entediada, caso não tiver um amiguinho para brincar.

Evite levá-la tarde para o cinema. Mesmo que a criança pouco compreenda o enredo dos filmes, evite filmes com cenas que podem assustá-la.

Quanto à questão da babá, se tiver disponibilidade para contratar uma, ótimo. Caso o contrário, consulte pessoas de confiança ou os seus pais para ficarem com o pequeno por um período. Esta é a primeira iniciativa que as mamães costumam tomar, mas fique atenta para que isso não vire um hábito. Quanto a alguém que receba pelos serviços, tudo bem. Mas, se caso contatar os avós do seu filho lembre-se de que eles também possuem os seus compromissos. Consulte-os de forma antecipada, e se for o caso, não insista. Cuidar da criança precisa ser um convite recebido com alegria, e não como uma obrigação.

Sair com o parceiro e com os amigos sem levar a criança é saudável e pode ser feito eventualmente, afinal, os pais também podem buscar o entretenimento sadio. Porém, preservar o bem-estar do seu filho tem que estar sempre em primeiro lugar. Passeios vespertinos, teatros infantis, programas com a família, zoológicos, viagens e festinhas dos amiguinhos também possuem as suas vantagens – terminam cedo e a criança terá se divertido. Saber dosar é fundamental. Boa festa!

Fonte: Site Guia do Bebê.

2º Curso para Gestantes Bicho Papão

O primeiro curso para gestantes da Bicho Papão foi um grande sucesso, por isso já estamos na segunda edição, que acontece no dia 27/08/2017.
Participe desse momento, você pode trazer um acompanhante e compartilhar um gostoso café da tarde com a gente. Será uma tarde de muito aprendizado e troca de experiências entre papais e mamães e profissionais escolhidos para orientar e ajudar com os preparativos para a chegada do bebê.

O investimento é no valor de R$ 300,00 por casal (sendo R$ 150,00 para consumação em produtos da loja, exceto móveis, carrinhos e decoração). Você ainda pode concorrer a um mini berço da Kartoon durante o evento.

Blog_2Curso_gestantes

Conheça os profissionais que participarão do evento:

  • Renata Martins Pantaleão- Introdução e abertura
  • Vanessa Morelli Camargo- Auxílio na lista de enxoval do bebê e decoração
  • Sandreli Oliveira- Cuidados com o recém-nascido
  • Dr.º Antonio Carlos Carmargo Junior- Orientações e cuidados pediátricos com recém-nascidos e lactantes
  • Dr.ª Rozana Martins Simoneti-Gestação antes, durante e depois
  • Fabiana Agapito Ibrahim-Pré-natal psicológico
  • Karem Cambero-Como se preparar para o parto, atividades físicas e preparação perineal
  • Renato Pantaleão-Segurança no trânsito para gestantes e bebês.

As inscrições estão abertas e você pode confirmar sua presença pelo e-mail: sac@lojasbichopapao.com.br ou vanessababyp@gmail.com.

Esperamos por você!

Primeiro curso para gestantes da Bicho Papão

O primeiro curso para gestantes da Bicho Papão foi um grande sucesso, os papais e mamães se reuniram em uma tarde gostosa e cheia de aprendizado, onde puderam entender um pouquinho sobre os principais cuidados com a chegada do bebê na família, através da experiência dos profissionais.
Confira os detalhes desse dia especial no canal da Baby Planner Vanessa Morelli, parceira da Bicho Papão na realização desse projeto:

 

[youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=U94CeH9sPCw” autoplay=”no”]

Cadeirinha multi grupos ou bebe conforto? Como escolher?

Na última conversa tratamos sobre a decisão de comprar um bebê conforto ou uma cadeirinha que serve para o recém nascido até os 25 kg ou aproximadamente 4 anos e meio.
Vamos falar mais um pouquinho sobre isso.
As cadeiras projetadas para o grupo 0-1 (recém nascido até 25 kg) são seguras e também certificadas pelo Inmetro para seu uso nesse período. Porém, obrigatório listar algumas vantagens e desvantagens em relação ao bebê conforto e vocês decidem o que se encaixa melhor!
Vantagem:
A única vantagem é a financeira, afinal você comprará um produto com vida útil de aproximadamente 4 anos, contra 1 ano do bebê conforto.
Desvantagens:
A cadeirinha grupo 0-1 é projetada para suportar uma criança até 25 Kg, ou seja, todas as dimensões da concha, da fivela, do cinto são para crianças de até 4 anos, aproximadamente, e adaptadas para servirem para recém nascidos, através de redutores internos e sistema de fixação no cinto de segurança a serem utilizadas no sentido contrário ao trânsito. Dessa forma o bebê continua seguro, porém sem o mesmo conforto.
Diferente do bebê conforto, a cadeira deve ficar fixada no cinto de segurança, isso significa que, caso o bebê esteja dormindo, você deverá tira-lo da cadeirinha , sempre correndo o risco de acorda-lo.
O bebê conforto pode estar sempre junto ao recém nascido, menor e mais leve, pode ser utilizado no carro de outras pessoas, no táxi, no segundo carro da família e até no avião, isso se torna muito mais difícil com a cadeira, devido ao seu peso, dimensão e falta de praticidade na instalação.
Existem outras formas de economizarmos com o bebê, mas segurança e conforto são primordiais.
Pensem nisso.

Boa semana!!

Curso para Gestantes

O primeiro curso para gestante da Bicho Papão já está com inscrições abertas. Haverá orientações sobre os cuidados com recém-nascidos, cuidados pediátricos, pré-natal, atividades físicas durante a gravidez e segurança no trânsito para gestantes e bebês.
Venha participar de um momento gostoso onde vamos compartilhar muita informação e experiência para as futuras mamães.

Conheça os profissionais que participarão do evento:
Para mais informações entre em contato com: sac@lojasbichopapao.com.br

 

curso_gestante_digital

Você sabe o que é uma Baby Planner?

Se não sabia, fique tranquila porque não é a única!

Uma novidade que vem auxiliar ainda mais a mamãe durante a gestação e depois dela.

O trabalho da Baby Planner consiste em ajudar a gestante e sua família a se organizar para essa nova etapa, levando informações e orientações.

Desde o cronograma semana a semana, às compras de enxoval, escolha dos móveis e produtos como carrinho e acessórios, arrumação quarto e banheiro do bebê.

Há também a indicação de profissionais qualificados que podem ajudar em diversos seguimentos como doulas, consultoria de amamentação e  consultoria do sono do bebê.

É uma ajuda profissional com carinho de avó!

Por isso se torna tão importante nos dias de hoje em que as mamães e os papais não têm tempo e nem experiências para lidar com as novidades que um bebê traz.

Mas é bom ficar atenta com a formação desse profissional.

Existem cursos especializados na formação dessa profissão como o ministrado no Instituto Mãe no Brasil e o IMPI – Internacional Maternity and Parenting Institute no exterior.

Nós da Bicho Papão temos a querida Vanessa Morelli Camargo que auxilia as mamães de Sorocaba e região com muita atenção.

Vale a pena conferir!

Siga a Vanessa no Instagram. @vanessababyplanner

Telefone/ Whatsapp:  15. 99741.0777

Boa semana!

Cadeirinha multi grupos ou bebê conforto? Como escolher?

A primeira pergunta que os pais me fazem quando chegam na loja procurando por uma cadeirinha para o recém nascido é essa: bebê conforto ou cadeirinha, que pode ser usada para o bebê recém nascido até os 18 kg?

A cadeira multi grupos, ou seja, 0-1 é projetada e certificada pelo Inmetro para atender ao recém nascido até que ele atinja 25kg. Nos primeiros 12 meses,  deve ser instalada no sentido contrário ao trânsito e após esse período, inverte-se a posição e ela ficará no sentido do trânsito. Essa cadeira deverá acompanhar a criança até aproximadamente 4 anos, dependendo da sua altura, pois raramente uma criança dessa idade ultrapassa os 25Kg para qual a cadeira foi certificada.

Já o bebê conforto, grupo 0, acompanhará a criança desde sua saída da maternidade até 1 ano ou 13 kg, sendo transportado sempre de costas para o trânsito.

 

Nesse momento vem  a pergunta: mas por que eu compraria um produto que durará apenas 1 ano e não uma cadeira que durará 4 anos sendo que  o preço de ambas é muito parecido????

 

Vamos as vantagens do bebê conforto:

– Projetado para atender o bebê desde o nascimento , ou seja, dimensões da concha, tamanho da fivela do cinto, largura do cinto de segurança, ângulo adequado que proporciona maior conforto além de tecidos mais macios , sempre visando segurança e conforto para o recém nascido.

– Facilidade em transportar o bebê dormindo , através de alça ergonomicamente projetada para essa função.

– O bebê conforto pode ser encaixado no carrinho, desde que da mesma marca, para que os pais não tenham que tirar a criança da cadeira e acomodá-la no carrinho , interrompendo, na maioria das vezes, o tão esperado soninho.

– Praticidade em levar o bebê conforto junto com o bebê em qualquer lugar, por exemplo, no táxi, no avião ou no carro de outra pessoa que não possua a cadeira.

– Rapidez de instalação no carro, com um simples “click” você encaixa o bebê conforto na base que fica instalada no carro e sai com rapidez e segurança.

Mas, e as vantagens da cadeira ? Não existe nenhuma?

Sim, a questão financeira, afinal você economiza o valor do bebê conforto e “pula” essa etapa.

Fica a pergunta, vale a pena economizar nesse momento, o período que o bebê mais necessita de conforto e segurança??

Semana que vem, falarei mais uma vez desse assunto, para que não reste nenhuma dúvida.

Boa semana!!

Mini Berço quem usa recomenda!

Olá!!
Eu sou o Bicho Papão, hoje venho falar com vocês sobre um assunto muito discutido entre as gestantes e mamães. Usar ou não usar o mini berço ao lado da cama nos primeiros meses de vida de um bebê?

Eles são lindos, cheios de charme! Mas além disso possuem duas funções muito peculiares na vida de uma mãe: conforto e segurança! E disso elas não abrem mão, por isso recomendam o uso do mini berço.

Muitas são as dúvidas, as inseguranças, mas uma coisa é unânime: a praticidade que as mamães buscam nessa fase. Por isso reunimos algumas opiniões para lhe ajudar com essa questão.

Juliana Nadai
Grávida de 5 meses
“Pretendo usar o mini berço porque acho mais prático e seguro do que deixar o bebê entre o casal na cama. Como moro em um sobrado vou deixar o carrinho no piso inferior e o mini berço no piso superiou, assim nao preciso ficar subindo e descendo as escadas com o carrinho”.

Amanda Leonel Rodrigues Belo
Mãe do Thiago de 6 meses
Usei o mini berço até os 4 meses do Thiago. Gostei muito da experiência e usaria de novo. Por ser mãe de primeira viagem tive muita insegurança em relação a respiração do bebê. Então eu me sentia mais segura com ele do meu lado. E também porque acordava de 3 em 3 horas para amamentar.
Era muito mais prático pegar ele do mini berço (ainda sentada na minha cama), amamentar, fazer ele dormir e voltar ele no bercinho sem precisar levantar da minha cama.

Milena Guedes
Mãe da Laura de 1 ano
“Eu amei usar o mini berço. Facilitou muito minha vida. Ficou no meu quarto até os 3 meses, depois deixei na casa da minha mãe. Lá usamos até quase os 10 meses, porque minha bebê é pequena então conseguimos usar bastante”.

Renata Santos
Mãe da Julia de 2 anos
O mini berço é uma ótima opção para acomodar o bebê ao lado da cama do casal, é uma segurança para a mãe por ter o filho pertinho e uma comodidade também. E para o bebê é extremamente confortável, diferente do carrinho que algumas mães optam em colocar a criança para dormir a noite toda.
Achei excelente e pretendo usar novamente com o segundo filho.

Ana Cláuda Mori
Mãe da Laís de 10 anos
“Usei o mini berço por mais ou menos 6 meses. Achei ótimo, pois facilita muito a vida da mãe, que não precisa ir a noite toda no quarto do bebê. Também acho que o bebe não sente tanto em ficar longe e acaba dormindo melhor. Além disso a mãe consegue descansar mais. Acho que toda mãe deveria usar o mini berço.

brl_4324

Os dentinhos do meu Bebê

 

Dental AlbumOlá Mamãe, eu sou o Bicho Papão, e hoje resolvi dar algumas dicas sobre a higiene bucal do seu bebê. Mas afinal, você já se perguntou como é o processo de desenvolvimento da arcada dentária de um ser humano? É curioso, mas a dentição de um bebê se inicia muito antes do que as pessoas imaginam. Com 11 semanas de gestação começam a se formar os botões dentários, o que no futuro serão os dentinhos do bebê. Demais né?!

Após o nascimento é importante que as mamães façam a higienização em seus bebês mesmo ainda não tendo os dentinhos. Como assim? Pois é, de acordo com a cirurgiã dentista Juliana Santos de Nadai esse processo de higiene é fundamental para a saúde do bebê.

Mas de que forma fazemos isso? É simples, explica Juliana. “Após a mamada a mamãe deve colocar uma gaze molhada em volta do dedo indicador e massagear a gengiva do bebê. Garantindo assim que a higiene seja realizada de forma segura e saudável ao seu filho”.

Esse processo deve ser repetido diariamente até que os dentinhos comecem a erupcionar. Isso geralmente acontece quando o bebê tem por volta de 5 meses de idade.

“Quando os primeiros dentinhos começam a despontar, o que varia de criança para criança, pois umas iniciam mais cedo do que outras, a higienização passa a ser feita com escova de dentes indicada para a faixa etária.

Juliana não recomenda uso de creme dental com flúor para os pequenos. “Eu não recomendo uso de pasta fluoretada para meus pacientes, porque geralmente as crianças até os dois anos de idade ainda não tem o reflexo de cuspir, então elas acabam engolindo o creme. E quando ingerido em excesso pode ocasionar fluorose, que são manchinhas brancas nos dentes.”

No mercado existem muitos cremes dentais infantis e esses produtos não contém flúor, mas é bom as mamães ficarem ligadas.

Quando os dentes permanentes começam a nascer, o que pode ocorrer a partir dos 5 anos de idade da criança os pais geralmente contam a seus filhos a lenda da fada do dente. A criança coloca o dente de leite embaixo do travesseiro e durante a madrugada a Fadinha deixa uma moeda em troca do dentinho. Essa lenda encoraja as crianças a tirarem os dentes de leite que muitas vezes ficam bem moles e os pequenos tem medo de tirar.

Mas e ai? Quando a lenda da Fadinha não cola? Boa pergunta né?!

Eu vou dar uma dica especial para vocês:

Nas Lojas Bicho Papão vocês encontram o Dental Álbum. Um estojinho super maneiro onde as crianças vão guardar com todo amor e carinho seus dentinhos. Legal né?!

Ihhh agora o Bicho Papão ficou curioso, me contem o que vocês fazem com os dentinhos dos seus filhos?

 

 

Dental Álbum – Disponível nas Lojas Bicho Papão de São Paulo, Campinas e Sorocaba .

29/08/2016

Dia da infância: Liberdade e limites

Olá eu sou o Bicho Papão e estou muito feliz, pois hoje é um dia especial, eu o considero assim porque nos traz a oportunidade de refletir. Muitos não sabem, mas 24 de Agosto é comemorado o Dia da Infância. E para falar sobre o assunto eu conversei com o Historiador e Diretor da Biblioteca Infantil de Sorocaba, José Rubens Incao. Fiz algumas perguntas a ele sobre a importância dessa data. Está curioso? Então não perca porque tem muita informação boa nesse bate-papo.

Bicho Papão – José Rubens o que seria uma infância ideal na sua opinião?
José Rubens -A infância ideal é aquela em que a criança é acolhida desde a sua gestação e continua, a cada dia, cercada de carinho, atenção, descobertas e possibilidades. Que ela tenha o seu espaço enquanto ser que já é e, também, enquanto ser em formação que merece, como todos nós, carinho, respeito, educação e que este mundo seja-lhe apresentando em sua plenitude, com tudo de bom e maravilhoso que existe e, também, o lado das infinitas coisas que precisam (e podem) ser melhoradas.

Bicho Papão – Qual a importância na sua opinião de uma criança ter uma infância sem obrigações. Do tipo ajudar os pais a cuidar dos irmãos, ajudar a sustentar a família, entre outros. Ou melhor o que isso prejudica na formação de um ser humano?
José Rubens – Acredito que deve ser incutida na criança, desde a mais tenra idade, noções de respeito, cooperação e ajuda, sem que isto, de forma alguma se transforme em obrigação. O sentimento de pertencimento à uma família, rua, bairro, comunidade e mundo pode ser exercitado através da solidariedade, do respeito, do auxiliar, espontaneamente, delicadamente, com simples gestos (e exemplos) de arrumar a cama, os brinquedos, contribuir, enfim para que o lar em que ela reside, possa ficar mais bonito (e já é) com a sua colaboração. Sem obrigação e regras impostas.

Bicho Papão – O que tem para ser comemorado nesta data?
José Rubens – Tudo. A existência das crianças é de encher de música nossos dias e nossas vidas. A possibilidade que cada um tem e pode de contribuir para a plenitude dessa infância, iluminando-a com carinho, respeito e amor. Se acreditamos no futuro melhor, devemos construí-lo agora, combatendo e não compactuado com qualquer forma de violência, desrespeito e desamor à infância e a qualquer ser humano que, como nós, merece respeito e direito à uma vida plena.

Bicho Papão – Com relação ao mundo digital sabendo que o senhor está a frente de uma biblioteca infantil. O senhor acredita que as bibliotecas irão acabar por causa da era digital?
José Rubens – Vejo a era digital como excelente ferramenta de nossos dias ao aproximar, disponibilizar não apenas informações, mas relações. E uso o termo ferramenta, pois é isso que para mim representa. Pode, sim se mal utilizada, transformar-se em arma danosa de propagação de violência, desde a mais escabrosa à mais sútil, que ainda aceitamos, que ainda toleramos, mas é violência mascarada.
Quanto ao fim das bibliotecas, acredito no fim das bibliotecas, escolas, entidades e até lares onde o acolhimento, as relações pessoais de respeito e felicidade não são exercitadas e, portanto, definharam. Aquelas bibliotecas onde cada usuário é acolhido com carinho, respeito, entusiasmo, não correrão este risco.
A era digital, enquanto poderosa ferramenta surgiu para auxiliar, como vem acontecendo não só às bibliotecas, mas também em nossa vida.

Bicho Papão – Quais os malefícios da era digital para as crianças de hoje, que desde pequenas já sabem mexer nos tablets e celulares?
José Rubens – Não concebo hoje uma criança apartada dos recursos da era digital, mesmo com toda boa intenção de protegê-la de possíveis (e existem) riscos.
Cabe aos pais e responsáveis por esta criança de orientar, mediar, ensinar e alertar sobre o como, quando e onde utilizar os recursos oferecidos. Assim como a vida fora dos limites dos lares e escolas. Tendo um bom lastro de orientação, sem moralismos, mas realista e acolhedor, essa criança poderá navegar em segurança, não só pela internet, mas pela vida afora.
Ufa! Que bate-papo cheio de conhecimento e reflexão. E você que ficou interessado em saber mais sobre a Biblioteca Infantil Municipal de Sorocaba ela está localizada na Rua da Penha, 673 Centro. Lá acontecem muitos eventos legais para a criançada, fiquem ligados na programação. Mais informações pelo telefone 15 3231-5723.

 

 

Agradecimento ao José Rubens Incao pela prontidão em nos atender.

Viajar com crianças: um guia prático para organizar seu passeio.

Viajar com as crianças pode não ser uma tarefa fácil porque os pequenos exigem alguns cuidados, atenção especial e muitos outros itens indispensáveis para levar nas malas. Confira como viajar com o bebê de uma forma mais tranquila para todos os passageiros dessa aventura.

Vai viajar com as crianças de carro? Então fique atenta ao uso correto da cadeirinha para garantir a segurança dos pequenos passageiros. Confira os modelos mais adequados para cada fase do seu filho:

O “bebê conforto” é indicado para quem vai viajar com bebês até um ano de idade. Ele deve ser colocado no banco de trás, virado de costas para o trânsito.

Para viagens com crianças entre 01 e 04 anos, entre 9 e 18 quilos, o indicado é a cadeira auto, que já pode ir de frente para o trânsito.
Nela ainda se utiliza o cinto de segurança da própria cadeira.

Crianças de 04 a 07 anos, entre 18kg e 36kg, devem ir no acento de elevação no banco traseiro preso pelo cinto de segurança.
Para esta idade também existem cadeiras que transportam as crianças maiores com mais conforto e segurança.

Já os crescidinhos de mais de sete anos e até 1,45m de altura devem ir de cinto no banco de trás do carro.

Depois de sentá-los da forma correta…

É a hora protegê-los do sol que pode bater pela janela do carro durante a viagem, o que é imprevisível em caso de pegar estrada. Antes de viajar com as crianças lembre-se que bebês com menos de 6 meses não devem ser expostos diretamente ao sol por mais de 15 minutos e bebês entre 6 meses e 1 ano devem ficar sob o sol com moderação. Por isso, aplique um painel especial que impede a passagem excessiva da luz durante o caminho.

Parou, comeu
As paradas devem ser estratégicas. Se a criança ainda mama no peito, não e seguro alimentá-la com o carro em movimento. E se já estiver na fase sólida, não é adequado dar comida em movimento, pois pode causa enjoos. No caso de mamadeiras, além de levar sempre quantidades a mais para a viagem, lembre-se de usar a fórmula em pó e a água já fervida (conservada em garrafa térmica) para o trajeto da viagem, assim, na hora de dar de mamar, basta preparar e chacoalhar.

Viajar com crianças maiores pode ser um pouco mais fácil neste momento, já que podem se alimentar na estrada com lanchinhos como biscoito de polvilho, bolachas simples ou pãezinhos e até frutas como banana, maçã, melão ou mamão já em pedacinhos. Leve para viagem comida fresca e saudável.

Mesmo grandinhos, a dica é levar um babador de plástico pois são mais fáceis de limpar e não deixam passar para a roupa de baixo.
Uma dica mais prática ainda são os babadores descartáveis.

A hidratação é algo muito importante para as crianças durante a viagem de qualquer idade. Portanto, lembre-se de levar copos com água e algumas garrafinhas para o seu filho.

Na hora de fazer as malas:
Viajar com crianças requer cuidados especiais, por isso, prepare uma mala especial com itens de necessidade e emergência para ser levada com você e não no porta-malas. Deixe-a num local de fácil acesso para você.
O que não pode faltar dentro dela:

  • Trocas de roupa para temperaturas diferentes;
  • Fraldas limpas;
  • Sacos plásticos para lixos e fraldas sujas;
  • Trocador portátil;
  • Brinquedos preferidos da criança;
  • Paninhos de boca;
  • Troca de babador ou babador descartável.

Viajar com as crianças pode não ser uma tarefa fácil. Mas é uma aventura recompensadora e cheia de bons momentos ❤

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior

O ambiente de inverno e as doenças respiratórias

Faça chuva ou faça sol (literalmente), o inverno torna qualquer ambiente propício para as
crianças passarem por crises respiratórias. Mas há várias formas de combater isso e tornar
tudo mais fácil para os pequenos nesta estação.

Cof Cof Cof
As tosses alérgicas são as mais frequentes no inverno, principalmente à noite, na hora de
dormir. E nós sabemos o incômodo que pode causar para os pais e para a criança. Mas se
a tosse for de fato causada por alergias, você pode limpar o quarto sempre com produtos
sem cheiro nenhum, como água morna e vinagre! ou com álcool líquido inodoro.

Feito isso, é hora de umedecer o ambiente. O uso de umidificadores de ar tornou­-se muito
comum nos quartos de criança. E se você já for adepta, continue usando, pois a
Organização Mundial de Saúde informa que a umidade ideal do ar é entre 40 e 60% e, com
o aparelho, é mais fácil manter estes números, ajudando na respiração dos pequenos
narizes. Porém, fique atenta sempre à limpeza do umidificador, para que o vapor que saia
do aparelho esteja livre de bactérias, fungos ou sujeiras. Use-­o sempre durante o sono do
seu filho, seja à noite ou de dia.

Se ainda assim seu pequeno ainda estiver tossindo muito, use cebolas! Isso mesmo que
você leu, as cebolas possuem uma forma de absorção de bactérias e vírus do ar,
tornando-­o mais limpo, além de possuir propriedades broncodilatadoras e expectorantes.
Basta cortá­-la, crua, em três ou mais pedaços e deixar em um prato próximo a cama ou
berço. Este truque funciona apenas em casos alérgicos ou inflamatórios.

Coriza ou nariz entupido…
Neste caso, apresentamos o Aspirar Baby, sistema prático e eficiente desenvolvido por
médicos que proporciona alívio nasal imediato. Ele é voltado para crianças de 0 a 4 anos e
favorece o bem estar, o sono tranquilo, a boa alimentação e a recuperação do bebê, veja só
como ele é aqui: http://bit.ly/29uka2o
🙂

Lembre­-se: faça sempre acompanhamento com o pediatra e consulte-­o antes de mudar
qualquer hábito do seu bebê <3

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior

As malas da maternidade

As malas da maternidade: o que a mamãe precisa levar para ela e para o bebê
Se o grande dia está chegando ou não, se informar sobre o que terá dentro da mala da
maternidade é sempre importante. Assim, você não corre o risco de esquecer nada.
Primeiro, organize onde você levará tudo e lembre se de usar esta (ou fazer a sua própria) lista e checar todos os itens antes de sair de casa. O ideal é que a mala esteja preparada com certa antecedência.

A mala da mamãe
Deve ser organizada, com os itens fáceis de encontrar e sempre com peças extras em caso de emergências.
Comece com:

  • 3 conjuntos de camisolas ou pijamas. Opte por peças com botão e de fácil abertura, pois você estará amamentando.
  • 1 roupão ou penhoar. Você usará para circulação no quarto ou hospital e ao receber visitas;
  • 1 par de chinelos de quarto.
  • 1 par de chinelos de borracha para a hora do banho.
  • Calcinhas de sustentação confortáveis. Lembre se que você estará inchada e deve estar o mais confortável possível. Itens de higiene pessoal para o banho e pós banho
    (escova de dentes, de cabelo, shampoo, toalhas, desodorante e o que mais você sentir necessidade).
  • 1 troca de roupa para ir embora do hospital.

A mala do bebê:
Organize as peças de roupa por conjuntos para facilitar para a enfermeira e não ter perigo de trocar as peças. Se for necessário, separe os itens menores em necessaires, para que achem tudo com facilidade.
Lembre se de lavar todas as peças que for colocar na criança com sabão neutro.
Coloque na mala:

  • 6 conjuntos de bodies com calças de pezinho (conhecidos como mijão). A quantidade parece grande, mas além de ter algumas peças reservas, acontece mais de uma troca de roupa por dia no hospital. O ideal é que os conjuntos de roupas que serão usadas juntas estejam em sacos plásticos separados, em uma espécie de kit para facilitar quem vestirá o bebê.
  • 6 trocas de roupas RN confortáveis. Lembre se que os botões de pressão são os ideais.
  • 1 manta leve para manter o recém nascido envolvido.
  • 1 manta mais pesada em caso de mudança de tempo à noite.
  • Fraldas de tecido.
  • Escova de cabelo para recém nascidos.
  • 3 toalhas de banho.
  • 2 pacotes de fralda descartável.
  • Lenços umedecidos.
  • 4 pares de meias.
  • Luvas e toucas de frio.
  • Creme para assaduras.
  • 1 pacote de algodão.
  • Cotonetes, tesourinha para unhas (pois já nascem grandes e eles podem se arranhar)

Roupa completa (e quentinha) para a saída do hospital. Aqui, devemos fazer três observações a que você deve se atentar ao fazer a mala.

1) A maternidade nem sempre dispõe de itens de higiene para o bebê. Neste caso,
consulte antes para não ter surpresas. Caso você queira ou tenha que levar de casa,
aconselhamos colocar na mala: sabonete neutro para bebê, shampoo especial para
bebês.
2) Ao fazer a mala e separar o itens, atente se a temperatura e estação em que o
nascimento ocorrerá. Apesar de acontecerem as famosas “viradas de tempo” é
preciso ter os itens adequados a temperatura. Mas lembre se sempre: o organismo da criança demora algum tempo para adequar a temperatura do corpo ao ambiente. Portanto, eles devem sempre estar mais agasalhados que nós.
3) Ainda com período de antecedência, ligue na maternidade para saber quais itens
são oferecidos por eles e quais você tem que levar. Isto facilitará a hora de você
fazer o check list das malas.

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior

Cuidados de Inverno

Se o termômetro mudou, mude a rotina do seu bebê também
As temperaturas já começaram a baixar. E apesar disso significar muitas coisas boas e prazerosas que podemos desfrutar apenas no inverno, também serve como um alerta às mamães, pois devem-se
mudar diversos itens na rotina dos bebês. Porém,apresentamos um produto que é coringa para todas as situações e pode ser seu “braço direito” nesta estação >> o cueiro.

10251

Tchibum tchibum
A hora do banho não pode ser a mesma. Literalmente.

Em dias mais frios, há alguns horários que são mais indicados para higienizar e despir seu filho, que são as horas mais quentes do dia, entre 14h e 16h.

Não leve brinquedos para o banho, pois os distrai e faz com que fique mais demorado. Nesta época deve-se fazer o processo mais rápido possível.

O cueiro aqui ajuda como? Assim que secar a criança, ainda dentro do local que foi dado o banho, ao invés de embrulhá-la
na toalha úmida, embrulhe em um cueiro seco e quentinho até colocar uma peça de roupa.

Já para evitar choque térmico do bebê com a água, o ideal é deixar, minutos antes, o chuveiro quente ligado para criar vapor.

Look do dia. Ou melhor, da estação:
Os bebês perdem mais calor nas extremidades como mãos, pés e cabeça. Pensando nisso, se for sair de casa, lembre-se de agasalhá-lo
com luvas, meias e gorrinhos.

Porém, cuidado com os exageros. Observe sempre a temperatura da criança, que deve estar entre 36,5 e 37,2 graus. Se ela começar a transpirar ou ficar irritada sem motivos, pode ser calor.

Deve-se redobrar a atenção também aos materiais das roupas. A lã, por exemplo, pode causar irritação na pele do rosto, que já fica mais sensível, irritada e ressecada devido ao ar gelado. Cremes hidratantes especiais para bebês podem ser a solução.

Uma boa opção é vesti-lo em camadas e não com peças muito quentes e grossas. Assim, você tira e coloca o que for necessário para adaptar a temperatura dele ao local que estiver.

E claro, o cueiro pode te ajudar aqui também 🙂 Use o para envolver a criança, como uma manta mais leve, ou tampá-la do vento frio, deixando sobre ela.

ZZZzzzzZzZZZzz…

A dica de vestir a criança em camadas serve principalmente na hora d e dormir: primeiro de tudo, deve-se colocar o body, e então o culote. Por cima, coloque o pijaminha, que pode ser de flanela, por exemplo.

O cueiro também é uma opção na hora da soneca. Tanto para forrar cadeirinhas, carrinhos ou berços, ele faz com que o lugar que vai deitar seu bebê não fique tão gelado e torna mais aconchegante para a criança.

Não se esqueça de não usar muita manta ou cobertor, pois podem causar sufocamento durante a noite.

ergobaby-swaddle11

Em casos de dúvidas: O CUEIRO!
Trata-se de um pano com a espessura mais fina que de uma manta e mais grossa que de uma fralda. O meio termo ideal para cobrir do sol ou do vento. Para forrar locais em que vai colocar seu bebê ou embrulhálo em diversas situações.

E os benefícios vão além, pois o cueiro deixa os movimentos da criança limitados, imitando as condições do útero materno, deixando-a
mais segura e confortável.

Além disso, quando estão embrulhados no cueiro, não acordam com movimentos involuntários do corpo e se sentem protegidos e quentinhos, aliviando as possíveis cólicas. Vale a pena ter sempre alguns em casa e um com você na malinha da criança.

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior

Coleção Safari

Uma das novidades que a Bicho Papão que sempre inova na decoração do quarto do seu bebê é o tema Safar. Preparada com todo o carinho para deixar o cantinho do seu bebê mais especial, a linha explora uma aventura entre tons pasteis, bichinhos e a savana africana. A coleção safari é uma das novidades da Bicho Papão para 2016, confira:

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior

Mamãe, vamos escolher o carrinho do seu bebê?

Você provavelmente já pensou e decidiu tudo sobre os móveis, enxoval, decoração do quarto e acessórios. Mas, e o carrinho? Algumas mamães têm dúvidas na hora de escolher o melhor carrinho para ela e seu bebê. Confira abaixo como tomar a decisão certa em três passos.

Primeiro passo: Faça um test drive.

Já pensou chegar em casa e descobrir que o carrinho é grande demais para o espaço que você tem em casa, ou que não é nada prático na hora de desmontar e transportar durante o passeio?

Quando visitar a loja não esqueça de testar todos os componentes do carrinho, ande com ele, tente desmontá-lo, alguns carrinhos inclusive desmontam com uma mão só, o que pode facilitar a praticidade no dia a dia. Imagine o seu bebê dentro dele. Verifique todo o espaço interno e se ele pode trazer todo o conforto que ele merece.

É sempre bom também lembrar:

  • Verificar se o carrinho cabe no porta-malas do seu carro;
  • Espaço e compartimentos para carregar acessórios nunca é demais;
  • O peso dele também entra no limite de 23 kg de bagagem em viagens aéreas;
  • Veja se a capa do carrinho é fácil de retirar, limpar e higienizar.

[lightbox_gallery columns=”1″ size=”” hover_zoom=”none”]
[image src=”http://lojasbichopapao.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/04/Quinny_Moodd-1.jpg” alt=”O Quinny Moodd tem suspensão nas rodas”]
[/lightbox_gallery]

O Quinny Moodd tem suspensão nas rodas

[divider style=”single” align=”center” color=”#02ae73″ opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”30px” padding_bottom=”30px”]

Segundo passo: Aperte bem os cintos!

Ainda na loja, teste e confira se cada uma das travas das rodas giratórias, dos freios, do cinto de segurança e dos demais eixos desmontáveis estejam funcionando corretamente. Alguns modelos possuem até cintos de 5 pontos, o que pode ser um reforço extra para manter o bebê tranquilo durante um passeio.

Mas lembre-se, a segurança do carrinho não está ligada apenas a travas e freios. Confira mais alguns itens pra ficar atenta:

  • Proteção do tecido da capa contra raios ultravioleta;
  • Peças metálicas que possam ficar expostas e causar queimaduras devido ao calor excessivo em atividades debaixo do sol;
  • Se as coberturas oferecem proteção antialérgica;

[lightbox_gallery columns=”1″ size=”” hover_zoom=”none”]
[image src=”http://lojasbichopapao.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/04/ABC_3TEC.jpg” alt=”Chicco ABC Design 3 Tec: 3 rodas e cinto de segurança de 5 pontas”]
[/lightbox_gallery]

Chicco ABC Design 3 Tec: 3 rodas e cinto de segurança de 5 pontas

Com um pé ainda na segurança: o bebê conforto

Alguns carrinhos também possuem a opção de bebê conforto, peça fundamental para o seu bebê, que pode te acompanhar em qualquer espaço da casa, enquanto você exerce outras atividades além de mãe.

Ele também é o indispensável na hora do passeio, por isso é importante se orientar quanto ao encaixe no carrinho, instalação no veiculo e o uso do cinto de segurança.

[lightbox_gallery columns=”1″ size=”” hover_zoom=”none”]
[image src=”http://lojasbichopapao.com.br/blog/wp-content/uploads/2016/04/Chicco_Urban.jpg” alt=”O Chicco Urban tem cadeira reversível e se transforma num moisés”]
[/lightbox_gallery]

O Chicco Urban tem cadeira reversível e se transforma num moisés

[divider style=”single” align=”center” color=”#02ae73″ opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”30px” padding_bottom=”30px”]

Terceiro passo: Por último, o estilo!

Estilos e designs diferentes é o que não falta na hora de escolher o carrinho. Para deixá-los mais estilosos encontra-se também as capas de diversas cores, deixando até mesmo aconchegante.

Agora é hora de usar essas dicas e encontrar o carrinho ideal para você. Boa busca e, em caso de dúvidas, estamos aqui para lhe ajudar.

[divider style=”single” align=”center” color=”” opacity=”1.00″ width=”” pull=”” padding_top=”20px” padding_bottom=”20px”]

banner_inferior